Pata de Elefante - Ocidente
Atualizado em: 16 de outubro de 2019, 04:25

Pata de Elefante - Ocidente

"Ocidente Acústico" edição 986
Pata de Elefante
Boca Fechada Não Entra Mosca (noite da música instrumental).


QUANDO: 17 de outubro (quinta) de 2019.

23 horas - a casa abre às 21h30min.


Lote promocional: R$30,00 (trinta reais).

Promocional (valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível, disponível para qualquer pessoa). Valido para venda antecipada.

Os alimentos deverão ser entregues no Ocidente, no momento da entrada ao evento.

Inteira: R$ 40,00 (quarenta reais ).

Meia: R$20,00 (vinte reais).


** Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados na Lei Federal 12.933/13.



Pontos de venda:

Toca do Disco (Garibaldi, 1043 - fone:3311-4551)

Online: www.sympla.com.br



ONDE: Ocidente – João Telles esq. Osvaldo Aranha

INFORMAÇÕES: (51) 3012 2675 – www.barocidente.com.br




Pata de Elefante no Ocidente!
No final de 2017, o baterista Gustavo Telles deixou a banda para se dedicar a sua carreira solo. Então a Pata de Elefante se tornou uma dupla, com Gabriel Guedes e Daniel Mossmann fazendo as guitarras e baixos como de costume e contando sempre com um baterista convidado pra assumir as baquetas.
Em janeiro de 2018, a dupla entrou em estúdio pra dar início aos trabalhos de um novo disco, com a bateria sendo assumida por Reynaldo Migliavacca para a gravação. Atualmente residindo em Londres, Reynaldo faz parte da banda Lowly Hounds e já tocou na Charly Coombes ; The New Breed.
Em 16 anos (2002-2018), a Pata de Elefante lançou quatro discos, tocou em diversos lugares do Brasil, ganhou prêmios como VMB 2009 (MTV) - Melhor Banda Instrumental - e Açorianos em 2005 e 2011 - Revelação e Melhor Disco Instrumental, respectivamente -, participou de projetos e editais, teve músicas incluídas em trilhas sonoras de filmes e conquistou público e crítica com a força de sua música.
Apostando em melodias, em riffs impactantes e em grooves envolventes, a Pata de Elefante levou seu rock instrumental para um público acostumado a ouvir música com vocal. E se tornou referência entre as bandas instrumentais brasileiras que surgiram na primeira década do século 21.

Trajetória
A Pata de Elefante surgiu em janeiro de 2002, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul e se diferenciou por fazer rock instrumental com ênfase nas melodias. O primeiro disco, "Pata de Elefante", foi lançado em dezembro de 2004 pela Monstro Discos. A partir deste momento, o grupo passou a se apresentar nos principais festivais de rock no Brasil, como Goiânia Noise (2004, 2006 e 2007) e Abril Pro Rock (2008). Por este Cd, ganhou o Prêmio Açorianos de Música 2005 de Porto Alegre. Na revista Bravo, em resenha veiculada em julho de 2005, o trabalho da Pata de Elefante recebeu um elogio de peso: "a música instrumental brasileira tem salvação". Em agosto, a banda se apresentou no Programa do Jô, da Rede Globo.
Em 2007, foi selecionada no edital Rumos Itaú Cultural (2007-2009), que funciona como uma espécie de mapeamento da música brasileira. No fim do ano, lançou o segundo Cd, "Um olho no fósforo, outro na fagulha". A música “Hey!” foi incluída na coletânea Le Noveau Rock Brésilien” (O Novo Rock do Brasil), encartada na edição de fevereiro de 2008 da revista franco-brasileira Brazuca, com distribuição gratuita nas ruas de Paris. A seleção musical e a produção foram da revista e selo digital Senhor F. Em dezembro de 2008, a Pata de Elefante ganhou o Prêmio Dynamite, na categoria Instrumental, realizado pela revista Dynamite.
Em janeiro de 2009, "Um olho no fósforo, outro na fagulha" ficou entre os 25 melhores discos de 2008, segundo a lista da revista Rolling Stone. Em julho de 2009, o trio fez shows no Festival de Garanhuns, em Garanhuns (Pernambuco), no Baicool Jazz Festival, em Salinas (PA) e no encerramento da primeira seletiva do Festival Se Rasgum, em Belém (PA). Em agosto de 2009, ocorreu uma turnê no Rio Grande do Sul durante o projeto Sesc Música, com shows em São Leopoldo, Lajeado, Bento Gonçalves, Farroupilha e Santa Cruz do Sul. Em outubro de 2009, a Pata de Elefante ganhou o VMB (MTV), na categoria Melhor Banda Instrumental. E em novembro, ocorreu o lançamento do elogiado clipe de “Um olho no fósforo, outro na fagulha”.
Ainda nesse período, foram realizadas apresentações nas cidades de Iguape, Tupã, Brotas, Guararema, Caraguatatuba e Monte Alto, no interior do estado de São Paulo, durante o Circuito Cultural Paulista. Além disso, a banda marcou presença na caixa com 16 Cds lançada pelo Rumos Música (edital 2007-2009), do Itaú Cultural, incluindo artistas e grupos do Uruguai, Argentina, Paraguai, Chile e Brasil.

Gabriel Guedes: Guitarra, baixo
Daniel Mossmann: Guitarra, baixo
Pedro Petracco : bateria



Foto: Raul Krebs