Aproveite a cidade de Porto Alegre

Oficina de Música Vocal Moçambicana com Lenna Bahule

O Coletivo Pedra Redonda em parceria com o Centro Cultural Afro-Sul Ọdọmode promovem a Oficina de Música Vocal Moçambicana com a artista Lenna Bahule

SOBRE A OFICINA
Música Vocal Moçambicana
- voltada para cantores profissionais ou com alguma experiência em canto em grupo

A música vocal de Moçambique é extremamente rica e complexa em seu conteúdo rítmico, melódico e corporal. Neste encontro faremos uma breve vivência de alguns dos diversos elementos que compõem esta prática musical: navegaremos sobre a música tonal influenciada pelo gospel que imigrou junto com os homens e mulheres das missões europeias para o sul do continente; e também sobre a música tribal considerada de perfil modal e dotada de uma polirritmia bastante complexa e adornada. A dança e o movimento não deixam de ser parte complementar pois entende-se que corpo e som são uma unidade. Makwayela, Makway, Muthimba, Nyanga, Guitonga são alguns exemplos de estilos que são possíveis de vivenciar nesta oficina.

SOBRE LENNA BAHULE

O corpo e a voz como diversos instrumentos musicais para que juntos possam tocar as pessoas. Assim é a música de Lenna Bahule, a mensageira que conecta África e Brasil.

Lenna Bahule iniciou sua formação em música aos cinco anos tendo ingressado na Escola Nacional de Música (ENM) em Maputo- Moçambique onde nasceu. Desde 2012, radicada em São Paulo, fundamentou sua pesquisa sobre a música vocal e diferentes caminhos para o uso da voz e do corpo como instrumento musical e de expressão artística. Estudou e participou de atividades de intercâmbio e grupos de estudo com alguns artistas pioneiros das várias técnicas que sustentam essa pesquisa como: Fernando Barba, Stênio Mendes, Zuza Gonçalves, Pedro Consorte, Ronaldo dos Santos, Tiago Pinheiro, Geórgia Dias, Wagner Barbosa, Sílvia Goes, Eleni Vosniadou (GRE), Rhiannon (USA), Santiago Vasquez (ARG), Guillermo Rozenthuler (UK).

Em aulas particulares e em encontros em grupo, Lenna orienta cantores e grupos corais/vocais desenvolvendo um trabalho de expansão criativa e expressiva, fazendo o uso de algumas técnicas de improvisação livre, consciência corporal, jogos e brincadeiras musicais do universo da música corporal, circlesong e regência de sinais, e um trabalho introdutório sobre o repertório da música vocal de Moçambique.

Na área de arte-educação, pesquisa e ministra uma oficina sobre jogos, brincadeiras, cantos e danças infantis e populares de sua terra natal. Já ministrou esta oficina em diversos locais como: Instituto Brincante, Casa do Brincar, Teca Oficina de Música, Sesc’s, entre outros.

Colaborou com alguns artistas como Angelo Mundy (Abrigação), Luiz Tatit (Palavras e Sonhos), Jurema Paes (Mestiça), Benjamim Taubkin, João Taubkin e Itamar Doari (O Pequeno Milagre de Cada Dia) e dividiu o palco com artistas como Na Ozzetti, Juçara Marçal, Marcelo Pretto, Clarianas, Mu Mbana (GNB), entre outros.

Se apresentou com o Coral Jovem do Estado (EMESP) e fez parceria na trilha sonora e direção musical da peça acessível para cegos e surdos “FEIO” do coletivo GRÃO, que em 2016 ganhou o primeiro lugar no “Premio de SP de incentivo ao teatro infantil e jovem e melhor espetáculo de inclusão e acessibilidade pelo APCA.

Participou de alguns encontros de literatura com Mia Couto, no lançamento do seu último livro “Sombras da Água” segundo livro da sua trilogia “As Areias do Imperador”.

Atualmente, além de suas apresentações “SOLO”, lançou o seu primeiro CD intitulado “NÔMADE” que faz parte da lista dos 100 melhores discos de 2016 pelo site Embrulhador.
Compõe o grupo de dança sul-african, GUMBOOT dance Brasil como bailarina e como diretora musical.

---------------------------------------------------------------------------------------

SERVIÇO
Dia: 17 de setembro, terça-feira
Hora: 18h às 22h
Local: Afro-Sul Odomodê. Endereço: Av. Ipiranga 3850
Investimento: 70,00
Vagas limitadas

SOBRE OS REALIZADORES
A Pedra Redonda é um estúdio de gravação situado na zona sul de Porto Alegre/RS e maestrado pelo engenheiro de som Wagner Lagemann. Se configura como um espaço potente de fruição poética organizado por um coletivo de artistas do áudio-visual. A casa da Pedra Redonda é onde os caminhos se cruzam, se abraçam e se fortalecem.

O Afro-Sul Odomodê é um espaço de promoção e preservação das raízes da arte e da cultura afro-brasileira

Apoio: TVE / FM Cultura / Estúdio da Pedra Redonda / Coro Juvenil do Moinho - UCS

Design Gráfico: Vitória Proença

Maiores informações: (53) 98103 0484

Eventos similares

Pegue um convite