Mulheres  Literatura Escrita e Repercussão
Atualizado em: 05 de novembro de 2019, 09:16

Mulheres Literatura Escrita e Repercussão

A mesa de conversa "Mulheres ; Literatura: Escrita e Repercussão" que faz parte do I Congresso Mulheres nas Ciências: Passado, presente e futuro, evento que será realizado na PUCRS nos dias 04 a 06 de novembro, conta com diversos debates a respeito das Áfricas e suas descolonizações. A mesa ocorrerá às 8h30 min. no dia 05 de novembro, na sala 303 do prédio 5 da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Segue a programação:
A presente mesa de conversa tem como objetivo abordar diferentes obras literárias e cinematográficas do continente africano ou que lutaram pelas independências africanas produzidas por mulheres.

A mesa de conversa será dividida em três eixos de debate:

(1)Literatura produzida por mulheres:

Neste abordaremos a literatura produzida por mulheres nascidas no continente africano em diferentes contextos: Fatou Diome (Senegal), Chimamanda Ngozi Adichie (Nigéria) e Paulina Chiziane (Moçambique).

-Fatou Diome é uma escritora senegalesa contemporânea que na sua primeira obra "O ventre do atlântico" (2003) trata em caráter autobiográfico da imigração de africanos para a Europa. A obra suscita o debate com relação a identidades e origens a partir do contexto do Senegal, que foi um dos centros do antigo Império colonial Francês, tratando assim, dos fluxos e refluxos de pessoas, da falência do estado senegalês e de trajetórias (e aspirações) de mulheres e homens migrantes.

- Chimamanda Ngozi Adichie, escritora nigeriana que tem se dedicado a questões de gênero e atraído uma nova geração de leitores para as ‘literaturas africanas”, em especial ao contexto Nigeriano.

-Paulina Chiziane é escritora moçambicana e autora do livro Niketche: Uma história de Poligamia que abre espaço para a voz da personagem principal Rami para expor um complexo panorama sobre a diversidade étnica das mulheres em Moçambique, do qual será trabalhado no decorrer da oficina apresentando na obra as diferentes narrativas de ser mulher em Moçambique.



(2) Cinema:

Será abordado a produção cinematográfica e seu vínculo com a literatura, no caso angolano. Veremos as ausências e presenças de vozes femininas e de narrativas vinculadas a mulher no cinema e sua ligação com a literatura, como é o caso da cineasta Sarah Maldoror.


(3) Mulheres em luta contra o salazarismo: Neste eixo veremos o trabalho de Maria Teresa Horta, escritora e jornalista que nasceu e cresceu numa das mais longevas ditaduras do século XX, vindo a tornar-se uma das grandes opositoras do Estado Novo português. A sua produção literária, que tem início em 1960, foi marcada, sobretudo, pela crítica ao salazarismo. Suas obras abordam questões como o conservadorismo na sociedade portuguesa, o sexismo, a violência e a exploração da mulher, a falta de liberdades individuais, a guerra colonial e sua própria luta contra a censura portuguesa entre 1960-1971.


O que? Mesa de conversa/oficina Mulheres ; Literatura: Escrita e Repercussão
Onde: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, sala 305 no prédio 5
Quando: 5 de novembro de 2019 às 8h30min
A oficina é gratuita e suas inscrições ocorrem através do endereço: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdGh9fJ1f-y6ReVCKBmZ7vzVlfbaudhh7ARFvIvwgA9ZpvheQ/viewform
Parceria GT África RS