Mortalidade Juvenil: como enfrentar?

A Frente de Enfrentamento a Mortalidade Juvenil em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, tem por objetivo dar visibilidade ao debate acerca da mortalidade de jovens na cidade de Porto Alegre, bem como propor ações que consigam fazer o enfrentamento a essa realidade. Nesse sentido, constitui-se enquanto um espaço de articulação entre a sociedade civil e o poder público para pensar de maneira coletiva, propostas que possam realizar o enfrentamento a mortalidade juvenil no município e você está convidado a participar desta reunião contribuindo e conhecendo o Movimento. A proposta deste evento é apresentar e debater algumas formas de enfrentamento a mortalidade juvenil, bem como apresentar alguns dados referente a ela. Todos/as são bem-vindos/as a participar, trabalhadores de políticas públicas, acadêmicos, sociedade civil e etc.
Local: Auditório da Fabico UFRGS.

CONVIDADOS/ AS

Ana Paula Motta Costa, professora Doutora da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, onde compõe o Programa de Pós-graduação em Direito - Mestrado e Doutorado. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito da Criança e do Adolescente e Direitos Humanos, atuando principalmente nos seguintes temas: adolescência, infância, Estatuto da Criança e do Adolescente, medidas socioeducativas

Bruna Koerich, bacharela em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Especialista em Políticas e Gestão da Segurança Pública; Mestra em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atua na área das políticas públicas para juventudes e é doutoranda em sociologia pela UFRGS, também compõe a frente e enfrentamento a mortalidade Juvenil.

David Mantalof, graduando em Serviço Social pela PUCRS, educador social nas medidas socioeducativas CREAS Restinga, compõe a frente de enfrentamento a mortalidade juvenil desde 2017 e a executiva nacional dos estudantes de Serviço Social.
Pegue um convite