ManasLisas com Jorge Aguiar

ManasLisas com Jorge Aguiar

Não foram poucos os estudos de especialistas para tentar decifrar a enigmática expressão de Mona Lisa, o quadro mais celebrado da história da arte, pintado em Florença, em 1503, por Leonardo da Vinci. Recentemente, cientistas britânicos utilizando técnicas que envolvem computação garantem ter descoberto o segredo por trás da obra mais famosa de Leonardo. De acordo com o jornal britânico The Independent, Mona Lisa estava 83% feliz, 9% angustiada, 6% assustada e 2% chateada. Entre 2010 e 2011, caminhando por ruas empoeiradas do Bairro Umbu, Jorge Aguiar, percebeu que mulheres pobres donas de uma beleza fora do comum, mesmo desempregadas, mantinham uma beleza incomum. Durante doze meses, Jorge carregou no ombro, dentro de ônibus carcaças de molduras, e pacientemente se aproximou de várias “manas" do bairro Umbu, em Alvorada para fotografá-las. Muitos artistas têm recriado, no seu trabalho, o quadro de Da Vinci - Marcel Duchamp, Salvador Dali, Andy Warhol. Entretanto, somente agora, La Gioconda ou Mona Lisa, como é mais conhecida passa a ter outra dimensão social, inusitada, revelada através de expressões enigmáticas de intensa dramaticidade no rosto de Manas Lisas, ou mulheres pobres da periferia de um bairro simples de Alvorada. Tudo graças ao olhar renascentista e contemporâneo do autor desta mostra. Reescrevo com convicção que Jorge Aguiar, construiu sua trajetória com olhar voltado para documentar a vida dos pobres, dos desvalidos, e a vida simples, centrado na figura humana. Jorginho tem uma obra densa, definitiva. No seu trabalho de rua estão presentes, lado a lado, de forma vibrante, a narrativa e a estética. Princípios que formam a linguagem fotográfica, que diferenciam o fotógrafo de verdade de um mero "batedor de fotos". Sem cair no ativismo ideológico, na denúncia partidária ou na estética panfletária, ele nos mostra a realidade ácida, instigante, tão perto do nosso dia-a-dia, e muitas vezes tão longe do nosso mundo.
Manas Lisas, integra-se a uma obra tão complexa e tão simples, ao mesmo tempo. Uma obra local que atinge dimensão universal através do olhar singular de Jorge Aguiar. Um olhar que nos leva a conhecer mais a condição humana.
Texto: Eurico Sallis

Jorge Aguiar, natural de Porto Alegre/ RS, 42 anos de Fotojornalismo. Há 22 anos desenvolve o Projeto Luz Reveladora Photo da Lata em periferias ministrando oficinas pinhole a jovens e adultos em áreas de vulnerabilidades sociais.
Prêmios: VI Bienal de Fotografia Europa 83 FédérationInternationale de L´artPhotographique
Cidade: Réus - Espanha
Instituto Cultural Judaico MARC CHAGALL Salão nacional de fotografia Racismo e discriminação
Prêmio Direitos Humanos UNESCO em 2003-projeto Photo da lata