Inferninho 28.11
Atualizado em: 28 de novembro de 2019, 19:06

Inferninho 28.11

Não é possível discutir o racismo isoladamente. O capitalismo necessita de condições objetivas e subjetivas para se desenvolver dentro da nossa sociedade, ou seja, o indivíduo necessita tornar-se um “trabalhador”, e o racismo é fundamental nessa subjetivação. Ele cria as condições necessárias para uma pessoa sentir que é natural a desigualdade social em que vivemos.

A história ainda não demonstra a existência de um modelo de desenvolvimento capitalista sem o racismo.

Somos filhas e filhos da classe trabalhadora e estamos vivendo em uma conjuntura que neste ano de 2019 nos compele a sairmos nas ruas para tentar trazer à consciência o impacto negativo que o racismo, o machismo e a homofobia diariamente coloca nas vidas de cada um de nós. Em todos nós, seja no branco que não percebe que também está sendo racista quanto no negro que sofre os danos da lógica abominável do preconceito.

Então, nesse dia 28 do novembro negro, o CEL e o CECS te convidam a todos juntos sambarmos no racismo e socializarmos a igualdade! Nossos djs estarão preparados com o melhor do FUNK nos intervalos do PAGODE AO VIVO.
: : : : : : : : : : : : : : :

LUTA COM A GENTE!
👉 Quando? 28/11, quinta-feira
👉 Onde? Na toca, centro acadêmico da Letras
👉 Que horas? 17:30

: : : : : : : : : : : : : : :

> SE LIGA <
A Letras tá organizada e não vai tolerar nenhum ato de racismo, machismo, fascismo, LGBTfobia, ou qualquer tipo de assédio ou constrangimento sexual. Se algo acontecer contigo, reporte imediatamente aos seguranças ou ao bar da festa.