Horizontes do Filme Ensaio
Atualizado em: 23 de outubro de 2019, 12:25

Horizontes do Filme Ensaio

De 03 a 23 de outubro a Cinemateca Capitólio Petrobras promove a Mostra Horizontes do Filme Ensaio, uma das 26 atividades do projeto Cinemateca Capitólio Petrobras programação especial 2019, aprovado pela Lei Rouanet/Governo Federal, com produção cultural da Fundacine RS e Prefeitura Municipal de Porto Alegre, através da Coordenação de Cinema e Audiovisual da Secretaria da Cultura, com patrocínio master da Petrobras.

Horizontes do Filme Ensaio apresenta 26 produções, promove seis debates e um painel em torno das complexidades do ensaio fílmico. As sessões contam com obras de diferentes formatos e durações, realizadas por nomes como Harun Farocki, Sergei Eisenstein, o coletivo Les Insoumuses, Jonas Mekas, Angela Ricci Lucchi e Yervant Gianikian, Chris Marker, Orson Welles, Jean Rouch, John Akomfrah, Jean-Daniel Pollet, Mariana Shellard, Aloysio Raulino, Jean-Luc Godard, Raúl Ruiz, Zózimo Bulbul, Pere Portabella, Carlos Adriano e Arthur Tuoto.

Além das exibições, a mostra conta com sessões comentadas, destaque da programação, que abordam temas contemporâneos como o afrofuturismo, as transformações dos espaços públicos, a representação de indivíduos marginalizados e a presença das mulheres nos ambientes de poder a partir de diferentes perspectivas do ensaio fílmico. Participam dos debates as pesquisadoras Lilian Santiago, Kênia Freitas, Claire Allouche, integrantes do Cineclube Academia das Musas e da Mutual Films.

A sessão de abertura, na quinta-feira, 03 de outubro, às 20h, apresenta o programa duplo com o curta-metragem Antes do Lembrar, de Luciana Mazeto e Vinicius Lopes, e longa-metragem Objeto Misterioso ao Meio-Dia, do diretor tailandês Apichatpong Weerasethakul, inédito em Porto Alegre. Antes do Lembrar já participou de diversos festivais no Brasil e exerior, com destaque para o International Film Festival Rotterdam 2018 e o prêmio de melhor documentário na competição internacional do 46º Athens International Film and Video Festival.

No domingo, 06 de outubro, às 17h30, ocorre com entrada franca o painel Perspectivas do filme ensaio, com a presença de Rafael Valles, documentarista e pesquisador dos filmes-diários de Jonas Mekas, Flavio Guirland, pesquisador do cinema found footage, e Gabriela Almeida, autora do livro “O ensaio fílmico ou o cinema à deriva”.

A sessão de encerramento, na quarta-feira, 23 de outubro, apresenta a sessão de The Cleaners, de Hans Block e Moritz Riesewieck, comentada pelo produtor Fernando Dias.

A mostra HORIZONTES DO FILME ENSAIO é uma correalização com o Goethe-Institut Porto Alegre, a Cinemateca da Embaixada da França no Brasil e o Institut Français.

FILMES

ANTES DO LEMBRAR
Brasil, 21’, 2017, DCP
Direção: Luciana Mazeto, Vinícius Lopes
Nas primeiras evidências de humanidade no sul do Brasil, encontramos, lado a lado, as partes visíveis e invisíveis de uma história.

OBJETO MISTERIOSO AO MEIO-DIA
(Dokfa nai meuman)
Tailândia, 82’, 2000, HD para DCP
Direção: Apichatpong Weerasethakul
Uma equipe de filmagem parte em uma viagem pela Tailândia, de norte a sul, documentando várias vidas ao longo do caminho. No processo, cada sujeito filmado é solicitado para continuar uma história ficcional e fantasiosa.

O TIGRE E A GAZELA
Brasil, 15’, 1976, digital
Direção: Aloysio Raulino
As fisionomias, os gestos e as falas de mendigos, pedintes, loucos e foliões que passam pelas ruas de São Paulo. Os sons e imagens são ilustrados com extratos de Frantz Fanon.

A ORDEM
França, 44’, 1973, digital
Direção: Jean-Daniel Pollet
A vida na colônia de leprosos de Spinalonga, uma ilha ao largo de Creta, através dos olhos de Raimondakis, que conta sua história para a câmera depois de ter sido excluído de sua comunidade.

A QUARTA E ÚLTIMA MORADA
Brasil, 89’, 2019, DCP
Direção: Mariana Shellard
Híbrido de ficção e documentário, o filme foi inspirado no livro Sangue Sábio, (1949) de Flannery O’Connor. Um ator de teatro (Ronaldo Braga), representando um pregador de rua no turbulento e cacofônico centro da cidade de São Paulo onde se concentram pregadores autônomos e religiosos, interage com a população e consequentemente traça um perfil do microcosmo local. Sua fé é a Igreja Sem Cristo e sua pregação declara que “não há verdade por trás de todas as verdades”.

COMMUNION LOS ANGELES
EUA, 68’, 2018, DCP
Direção: Peter Bo Rappmund, Adam R. Levine
O filme segue, quadro a quadro, a auto-estrada mais antiga da Califórnia (SR 110), das Montanhas de São Gabriel ao Oceano Pacífico, definindo e dividindo as comunidades 2 para as quais foi desenhada para servir. Ao observar essas 35 milhas de asfalto com infraestrutura e arquitetura públicas, essa jornada equinocial realça as dicotomias de mobilidade, tecnologia e espaço urbano. Além de fazer seus próprios filmes, os dois diretores trabalharam como assistentes e colaboradores de Thom Andersen em diversos trabalhos, e Rappmund também participou da montagem de A quarta e última morada. O filme estreou na mostra Signs of Life (Sinais de Vida), no Festival de Locarno.

DOMÍNIO
Portugal, 12’, 2019, DCP
Direção: Marcelo Félix
Abordagem pessoal ao tema da sustentabilidade, Domínio evoca o invisível na rotina dos seres e das coisas, a dimensão imensurável de cada escolha, a origem e o destino da memória: uma despedida em contagem decrescente, entre a nostalgia da distância que repõe a perspectiva e a imersão quotidiana na múltipla proximidade do caos. Domínio é um relance sobre gestos de discreta subversão e também uma breve lembrança do desgaste do mundo, feito de fragmentos de passado e futuro.

LAS CAMPAÑAS DE INVIERNO
Cuba/Venezuela/México, 70’, 2019, DCP
Direção: Rafael Ramírez
O prolífico cineasta cubano experimental Rafael Ramírez leva a campanha de Napoleão para a Rússia como ponto de partida para seu excepcional longa de estreia. Ele apresenta uma realidade singularmente mundana, mas também um universo perturbador de fantasia. O filme então oferece dois mundos em conflito, onde os personagens se tornam símbolos de representação e nos quais uma narração misteriosa é o guia exclusivo para o espectador atravessar a fronteira entre eles. Las campañas de invierno é um filme de grande beleza feito de rascunhos, modelagem e remodelagem.

O ÚLTIMO ANJO DA HISTÓRIA
(The Last Angel of History)
Reino Unido, 45’, 1995, HD
Direção: John Akomfrah
Um ensaio fílmico sobre a estética negra que traça as ramificações da ficção científica dentro da cultura pan-africana. Akomfrah articula o uso de imagens da nave espacial e do alienígena no trabalho de três músicos de gênio excêntrico – Sun Ra, George Clinton e Lee Perry –, para em seguida abordar a obra dos escritores da ficção científica negra Octavia Butler e Samuel Delany. O filme sugere que a nave espacial e o alienígena têm ressonâncias óbvias na condição diaspórica de exílio e deslocamento. Akomfrah expande sua constelação para incluir desde Walter Benjamin até DJ Spooky, traçando um itinerário pela música e ficção científica negras, a fim de lançar um olhar revelador sobre a modernidade na aurora da era digital.

O ENCANTADOR MÊS DE MAIO
(Le Joli Mai)
França, 165’ 1963, digital
Direção: Chris Marker, Pierre Lhomme
Paris, maio de 1962. A guerra da Argélia acaba de terminar. Neste primeiro mês de paz após sete anos de conflito, o que pensam os parisienses? Cada um testemunhou a tragédia da sua maneira, com suas angústias, felicidades e esperanças. Pouco a pouco, desenha-se um retrato vivo da França na alvorada nos anos 1960.

A MÁSCARA
(Het Masker)
Holanda/França, 53’, 1989, digital
Direção: Johan van der Keuken
Enquanto a França festeja o bicentenário da revolução francesa, Phillippe vive em Paris sem domicílio fixo, entre as paradas de metrô e os albergues do Exército da Salvação. Johan van der Keuken mostra em paralelo a vida dos excluídos e as imagens comerciais das celebrações do bicentenário. Entre a rejeição aos estrangeiros e o multiculturalismo, enquanto os partidos de extrema direita crescem na Europa, a sociedade francesa busca sua identidade.

ALMA NO OLHO
Brasil, 12’, 1973, HD
Direção: Zózimo Bulbul
Metáfora sobre a escravidão e a busca da liberdade através da transformação interna do ser, num jogo de imagens de inspiração concretista.

CUADECUC, VAMPIR
Espanha, 63’, 1971, HD
Direção: Pere Portabella
Uma das mais importantes produções clandestinas do cinema espanhol, em plena ditadura de Franco, Cuadecuc, Vampir traz uma combinação onírica entre ensaio, documentário e ficção e é definido pelo próprio Portabella como um “filme-vampiro”. Realizada com negativos roubados da televisão estatal, a obra se constrói através das filmagens de Conde Drácula (1970), de Jesús Franco, com Christopher Lee e as musas Maria Rohm e Soledad Miranda no elenco. Desconstrução do cinema de horror clássico e uma homenagem aos primeiros filmes sobre a história do vampiro, especialmente Vampyr, de Carl Theodor Dreyer e Nosferatu, de F. W. Murnau.

OUTUBRO
(Oktyabr)
União Soviética, 103’, 1927, DCP
Direção: Serguei Eisenstein, Grigoriy Aleksandrov
O intenso processo revolucionário da Rússia desde 1917 até a tomada do poder pelos bolcheviques.

A VOZ E O VAZIO: A VEZ DE VASSOURINHA
Brasil, 15’, 1998, DCP.
Direção: Carlos Adriano
A arte sincopada do original e obscuro sambista paulistano Vassourinha (1923-1942), que gravou apenas seis discos 78rpm.

IMAGENS DO MUNDO E INSCRIÇÕES DA GUERRA
(Bilder der Welt und Inschrift des Krieges)
Alemanha, 75’, 1988, digital
Direção: Harun Farocki
Filme-ensaio sobre o uso de imagens operacionais (desenhos e fotografias realizados com finalidade técnica, sem pretensão artística) em processos produtivos, operações militares e como mecanismos de controle. Harun Farocki se debruça especialmente sobre um conjunto de fotografias aéreas de Auschwitz tiradas por aviões de bombardeio norte-americanos em 1944, mas que foram descobertas e identificadas por dois funcionários da CIA. apenas em 1977. O cineasta reflete sobre o papel do olho como intermediário entre o ser humano e o mundo, e sobre como o ponto de vista determina o que vemos.

MASO E MISO VÃO DE BARCO
(Maso et Miso vont en bateau)
França, 55’, 1976, digital
Direção: Carole Roussopoulos, Delphine Seyrig, Ioana Wieder, Nadja Ringart
O coletivo Les Insoumuses usa de ironia e sarcasmo para interferir na reprodução de uma entrevista realizada pelo jornalista Bernard Pivot com a também jornalista e escritora Françoise Giroud, Secretária de Estado da Condição Feminina (1974-1976) no governo de Jacques Chirac.

VERDADES E MENTIRAS
(F for Fake)
França, 90’, 1973, HD
Direção: Orson Welles
Ao traçar o perfil de Elmyr de Hory, um notório falsificador de obras de arte, Verdades e mentiras descobre um emaranhado de histórias sobre fraudes e acaba por esbarrar nas próprias mentiras de Welles.

QUEBRA-GELO
(Brise-Glace)
Suécia/França, 86’, 1988, HD com legendas em espanhol
Direção: Jean Rouch, Raúl Ruiz e Titte Törnroth
No quebra-gelo “Frej”, três diretores entregam suas impressões: Rouch filma as obras no navio, Törnroth dá a palavra à tripulação e Ruiz apresenta um toque fantástico… Um filme em três episódios que se encaixa em um projeto multimídia maior, incluindo também criações musicais, radiofônicas e um livro ilustrado

REMINISCÊNCIAS DE UMA VIAGEM À LITUÂNIA
(Reminiscences of a Journey to Lithuania)
Estados Unidos, 82’, 1972, HD
Direção: Jonas Mekas
Este filme está dividido em três partes. A primeira parte é composta pelo material que filmei com minha primeira Bolex, durante meus primeiros anos na América, sobretudo entre 1950 -1953. A segunda parte foi filmada na Lituânia. Quase tudo em Semeniskiai, o vilarejo onde nasci. Não se pode perceber de fato como a Lituânia é hoje: pode-se percebê-la apenas através das memórias de um exilado que retorna à casa pela primeira vez após 25 anos.

OH, HOMEM!
(Oh! Uomo)
Itália, 71’, 2004, HD
Direção: Yervant Gianikian, Angela Ricci Lucchi
Usando material found footage de noticiário e fotografias de arquivos italianos, o filme coleciona imagens de guerra que se concentram na dor e no sofrimento que a batalha inflige aos soldados.

CRISE ANTROPOMÓRFICA
Brasil, 17’, 2018, digital
Direção: Victor Souza
Corpo-Ferramenta x mundo; corpo-conceito x cultura; hiper-corpo x realidade.

CARNÍVORA
Brasil, 63’, 2016, HD
Direção: Arthur Tuoto
Após ser encontrada por seres alienígenas, a sobrevivente de um episódio misterioso que dizimou parte da raça humana tenta compreender os fatos que levaram o planeta Terra a esse trágico destino. Formado inteiramente por imagens de arquivo sob domínio público, o filme é uma adaptação do conto de ficção científica “The Carnivore”, de Katherine MacLean.

ECLIPSE
Brasil, 1984, 12’, DCP
Direção: Antonio Moreno
Diante de imagens que se transfiguram, dentro de um cogumelo de uma explosão já começada, a narração de um rude poema latino-americano conta ocorrências e impressões das décadas de sessenta, setenta e oitenta no Brasil e América Latina, com algumas falhas de memória. O filme foi realizado a partir da técnica de animação direta na película.

FILME SOCIALISMO
(Film Socialisme)
França/Suíça, 100’, 2010, 35mm
Direção: Jean-Luc Godard
Num cruzeiro pelo mar Mediterrâneo, com personalidades como o filósofo francês Alain Badiou e a cantora americana Patti Smith a bordo, passageiros discutem sobre história, dinheiro e geometria. Longe dali, a família Martin, que mora num posto de gasolina, recebe a visita de uma jornalista e sua cinegrafista. As duas passam o dia à espera de uma entrevista com os pais, enquanto as crianças exigem deles explicações sobre liberdade, igualdade e fraternidade.

THE CLEANERS
(Im Schatten der Netzwelt)
Alemanha/Brasil, 88’, 2018, DCP
Direção: Hans Block, Moritz Riesewieck

A cada minuto 245 mil fotos estão sendo carregadas na internet, totalizando mais de 350 milhões de fotos diariamente. Simultaneamente, algumas dessas imagens e vídeos estão sendo bloqueados ou excluídos: pornografia infantil, fotos de tortura ou violência extrema, mas também imagens inofensivas de mães que amamentam. Quem são esses moderadores que fazem a “limpeza” das redes sociais? Com qual critério? E o quanto essas decisões podem influenciar a vida e opinião de todos?

GRADE DE HORÁRIOS

3 de outubro
16h – Verdades e Mentiras
18h – Imagens do Mundo e Inscrições da Guerra
20h – Antes do Lembrar + Objeto Misterioso ao Meio-Dia

4 de outubro
16h – Crise Antropomórfica + Carnívora
18h – Quebra-Gelo
20h – A Quarta e Última Morada + debate com Mariana Shellard e Aaron Cutler

5 de outubro
16h – Communion Los Angeles
18h – Domínio + Las Campañas de Invierno
20h – O Tigre e a Gazela + L’Ordre + debate com Lilian Santiago (entrada franca)

6 de outubro
16h – Oh! Homem
17h30 – Painel: Perspectivas do filme ensaio (entrada franca)
20h – Reminiscências de uma Viagem à Lituânia

8 de outubro
16h – Quebra-Gelo
18h – Eclipse + Filme Socialismo
20h – Alma no Olho + Cuadecuc, Vampir

9 de outubro
16h – O Encantador Mês de Maio
19h – Imagens do Mundo e Inscrições da Guerra

10 de outubro
16h – Crise Antropomórfica + Carnívora
18h – Verdades e Mentiras
20h – A Voz e o Vazio: A Vez de Vassourinha + Outubro

11 de outubro
18h – Quebra-Gelo
20h – Projeto Raros Especial: O Último Anjo da História + debate com Kênia Freitas (entrada franca)

12 de outubro
14h – O Encantador Mês de Maio
17h – A Máscara + debate com Claire Allouche (entrada franca)

13 de outubro
14h – Crise Antropomórfica + Carnívora
15h30 – Maso e Miso vão de Barco + debate com Cineclube Academia das Musas

15 de outubro
14h – Verdades e Mentiras
16h – O Encantador Mês de Maio

16 de outubro
16h – A Quarta e Última Morada

17 de outubro
16h – Quebra-Gelo

18 de outubro
16h – Eclipse + Filme Socialismo

20 de outubro
14h – A Voz e o Vazio: A Vez de Vassourinha + Outubro

22 de outubro
18h – Imagens do Mundo e Inscrições da Guerra
20h – Eclipse + Filme Socialismo

23 de outubro
18h – Crise Antropomórfica + Carnívora
20h – The Cleaners + debate com Fernando Dias