Grupo de Práticas em Comunicação Não-Violenta

A Comunicação Não-Violenta (CNV) tem como proposta a reformulação da linguagem que utiliza alguns paradigmas sociais (dominação, culpa e punição) para a construção de seu vocabulário. Por estarmos inseridos numa sociedade que possui esses padrões de funcionamento, somos atingidos (uns mais outros menos) pela violência invisível que permeia nossas relações mesmo sem estarmos conscientes dela. Ao escutarmos o termo “Comunicação Não-Violenta”, pode existir algum tipo de resistência interna, “eu não sou violento, procuro sempre manter a calma, não agrido, evito conflitos”. Temos a representação de que xingamentos declarados, agressão física ou tom de voz alterado são exemplos de violência. Entretanto, na CNV descobrimos que aquilo que coloca os outros ou à si mesmo na culpa e/ou na vergonha é um ato de violência.

Assim, antes de tudo, é necessário lançar um novo olhar sobre o modo que nos relacionamos com o outro, com o mundo e também com nós mesmos para que o processo seja iniciado. Para compreendermos de forma sucinta: ao mudar o modo como olho para o mundo, modifico a maneira de me relacionar com as pessoas e como consequência, começo a utilizar uma comunicação não-violenta.

Nos grupos trabalha-se o tema da Comunicação Não-Violenta, visto sob o enfoque teórico e principalmente, prático. Durante o grupo as pessoas serão estimuladas a aperfeiçoar habilidades propostas pelo psicólogo Marshall Rosenberg, autor da abordagem:
1) Fazer distinção entre observação de fatos e avaliação ou julgamentos destes;
2) Reconhecer os próprios sentimentos assim como identificar e acolher os sentimentos do outro por meio da empatia;
3) Identificar necessidades pessoais e as necessidades do outro;
4) Formular pedidos positivos e práticos, para o atendimento de suas necessidades, fazendo a distinção entre pedidos e exigências.

A prática é uma jornada para o desenvolvimento pessoal que promove a competência relacional e a resiliência emocional necessárias para transformar conflito em conexão e sustentar parcerias fortes e flexíveis. Ela nos chama a experimentar novas possibilidades de comunicação eficaz, apoiada na compaixão pessoal, autoresponsabilidade sobre as próprias emoções, estimulando sua emersão e transformação.

GRUPO PARA PRATICAR
Grupo aberto a todas as pessoas interessadas em aprimorar sua habilidade de conviver de forma autêntica através do estudo, pesquisa e prática da CNV. Busca o aprimoramento do nosso compromisso em conviver de formas alinhadas com nossos valores co-criando com cada ação, o mundo em que queremos viver.

SUSTENTAÇÃO DO GRUPO
Corresponsabilização Financeira
Ao final do grupo, serão compartilhados os custos envolvidos para que o mesmo aconteça. Em seguida, abriremos um mecanismo de livre contribuição, para quem quiser. O valor total recebido será compartilhado com o local onde o grupo estará sendo realizado. Cada pessoa envolvida na organização e realização do grupo partilhará a importância seguindo suas necessidades atuais.

FACILITADORA: Kellin Mello
Psicóloga, trabalha com psicoterapia individual e grupos terapêuticos. Facilita grupos de estudo, pesquisa e prática de Comunicação Não-Violenta. Formada em Acompanhante Terapêutico. Desenvolveu monografia sobre a Compreensão Empática na Formação do Psicólogo. Realiza palestras, oficinas e treinamentos em Porto Alegre e região metropolitana com o tema da Comunicação Não-Violenta.

Inscrições e Informações: 51 9 9246 2893
kellinmello.psi@gmail.com

Eventos similares

Pegue um convite