Entre Lobas - Capítulo   La Mariposa
Atualizado em: 02 de novembro de 2019, 23:08

Entre Lobas - Capítulo La Mariposa

Entre Lobas: sarau sobre o livro Mulheres que Correm com os Lobos


Cada cultura ou sociedade costuma criar modelos de comportamento, temperamento, forma e apetite para todo ser humano. Como se apenas os tipos que correspondem ao modelo fossem aceitáveis. Para as mulheres isso é elevado à enésima potência. Esses tipos são muito bem delineados: como devem ser seus cabelos, jeitos de caminhar, altura, tamanho do corpo, depilada ou não.

Chega-se a atribuir um valor moral às que não seguem os ditames, sendo chamadas de desleixadas, menos mulheres ou outras conotações negativas. Cumprir o modelo ideal de beleza e comportamento a que somos bombardeadas pelos mais diferentes veículos, embota toda a criatividade, empobrece a alma e tira toda a liberdade para a mulher ser quem ela quiser ser.


O Entre Lobas ocorre mensalmente desde março, e nele já abordamos:


1) a desconexão com a Mulher Selvagem e a importância da escuta da alma (Introdução);

2) recolher e cantar sobre os ossos como parte da criação e do poder psíquico feminino (La Loba);

3) o processo de iniciação e a ruptura com a ingenuidade, aliado ao conhecimento do predador interno inato e a necessidade de acessar os nossos recursos psíquicos e desenvolvê-los (Barba-azul);

4) como é possível e necessário ampliar o nosso poder intuitivo (Vasalisa);

5) a jornada do parceiro na conquista do coração de uma mulher selvagem e a importância de se reconhecer a natureza dual do ser humano - o self civilizado e o self instintivo (Manawee);

6) quando o coração é um caçador solitário e as manifestações do que a Dra. Clarissa chama de natureza vida-morte-vida (Mulher Esqueleto);

7) similaridade da Mulher Selvagem com o arquétipo do ser incomum e desvalido, o patinho feio. E ainda a relação da resistência e da continuidade com a natureza selvagem (Patinho Feio)


Venha correr com a gente em matilha

O quê: Capítulo 7 | La Mariposa | O corpo jubiloso: A carne selvagem

Quando: 2 de novembro (sábado)

Horário: 18h às 20h

Quanto: gratuito (sem taxa de couvert)


Sobre o livro

Instigante e apaixonante para umas. Estranho e incômodo para outras. Complexo e provocativo para todas. O livro Mulheres que Correm com os Lobos provoca as mais diversas reações.

Escrito por Clarissa Pinkola Estés, psicanalista junguiana, a obra reúne mitos, histórias e lendas que nos remetem a uma busca incessante pela mulher selvagem. Este arquétipo habita em todas nós e se revela atemporal e independente de qualquer configuração cultural, social, política e econômica forjada ao longo da história da humanidade.


Sobre o Entre Lobas

Motivadas pela necessidade de compartilhar e de ver expandir o potencial feminino dentro de todas as mulheres, te propomos a estar com a gente, em encontros mensais, no formato de sarau abertos ao público. Neles, lançaremos comentários e reflexões sobre essa obra tão fascinante.

Cada encontro tratará de um capítulo e não há necessidade de leitura prévia para participar, nem mesmo ter lido ou conhecer o livro.


As Escutadeiras

Leitoras vorazes da obra e iniciadas em dinâmicas terapêuticas e ritualística de reencontro e conexão com o feminino, somos três mulheres que nos vimos ligadas por um compromisso de partilha, de resgate do senso de comunidade, de escuta e de reintegração saudável e ativa do feminino em todos os seres humanos. Juntas criamos As Escutadeiras, com a perspectiva de criar ações e iniciativas que nutram a liberdade individual de se ser quem se é, aliadas a um propósito social e emancipatório do feminino.


Quem somos

Ro Ashima: Aquariana com Vênus em Sagitário. Gateira. Loba aprendiz de Tarot Astrológico. Escutadeira.


Jana Kalsing: Em busca da mulher selvagem. Escutadeira.


Fabi Miranda: Neta. Filha. Mãe. 5 planetas em Libra. Loba iniciada nas melhores bruxarias. Escutadeira.


Sozinha, às vezes, vamos mais rápido. Juntas, vamos mais longe.